«

»

ago 30 2014

Imprimir Post

Canadá: alimentos e outros assuntos aleatórios

Mais de 3 anos se passaram desde o último artigo da série do Canadá. Eu já nem lembro muito bem o que planejava escrever nos demais, mas a promessa do último foi falar dos produtos que se encontram e os produtos que não se encontram nos supermercados canadenses. Pois bem, vou tentar falar um pouco disso neste artigo de hoje, cujo foco são os alimentos, mas também passeia por outros assuntos aleatórios.

Arroz e Feijão

Arroz e feijão não é o prato de dia-a-dia dos canadenses. De fato, eles devem passar semanas ou até meses sem comer esses dois ingredientes. Possivelmente nem sabem da tão intrínseca associação entre eles. E com certeza não sabem que o correto é colocar o arroz embaixo e o feijão em cima :). Das poucas vezes que comi arroz não preparado por mim no Canadá, o que degustei foi um arroz um tanto carnavalesco (vem em bloco), grudento e com gosto de nada.

Feijão então, só fui ver no refeitório do alojamento onde eu estava inicialmente depois de algumas semanas. Fiquei muito feliz nesse dia, enchi um potinho e guando fui degustar tive o enorme desprazer de perceber que o negócio era doce. Sim, eles botam açúcar no feijão. Pior, botam também molho de tomate. Não consegui comer aquilo de jeito nenhum.

Mas isso não quer dizer que você não possa comer um bom arroz e feijão no Canadá. Sim, você pode! Mas provavelmente terá de prepará-los você mesmo. Arroz e feijão nos supermercados não costumam ter a abundância de marcas e tipos que temos no Brasil. Os pacotes de arroz são de pequena quantidade, nada de 5 Kg como por aqui. Feijão tem mais em versões enlatadas, a maioria com aqueles temperos doces horríveis, do que o grão para ser preparado. Mas a maioria, ou talvez todos, os supermercados tem algumas opções.

A rede Save on Foods é exceção e se destaca por ter grande variedade de tipos de arroz e feijão vendidos à granel. Basta pegar um saquinho, posicionar embaixo do dispenser e puxar a alavanca para pegar quanto quiser. Há balanças para pesar por ali, mas apenas para seu próprio controle, visto que a pesagem “oficial” é feita no caixa.  Aliás, no Save on Foods não tem apenas arroz e feijão, mas todo tipo de grãos à granel. E tem também M&Ms à granel que é algo que sinto muita falta no Brasil. 😀

Para poupar tempo e minhas poucas habilidades culinárias, comprava cebola e alho em pó, eliminando assim a parte mais chata de fazer arroz e feijão que é preparar o tempero. Não notei diferença significativa entre o tempero natural e os pós. Note que eu usava o pó durante o preparo e não depois. No caso do arroz, usava na hora de fritá-lo. Há inclusive opções orgânicas para quem prefere. E esqueça o óleo de soja. Por lá os óleos mais comuns são o de canola, o de milho e o de girassol, cujos preços são todos semelhantes. Escolhi aleatoriamente o de canola e foi o que eu usei em todo o tempo em que estive lá.

Panela de pressão para fazer o feijão eu não tinha. Não achei que valeria a pena comprar uma e depois ter que deixar lá, então fazia com as panelas comuns que “vieram” com o basement que aluguei. O segredo era deixar o feijão de molho desde manhã e então prepará-lo a noite, deixando cozinhar por um bom tempo. Não lembro exatamente quanto, mas era cerca de uma hora.

Uma hora? Isso deve gastar gás para caramba, talvez você esteja pensando. Acredite, não gastava nadinha de gás! Isso porque todos os fogões que vi no Canadá eram elétricos, como esse que você vê na foto abaixo, que foi o meu companheiro de cozinha.

Fogão Elétrico Canadense

Fogão Elétrico Canadense

Esse modelo não deve ser o mais moderno. Mas os que vi em lojas eram semelhantes: todos elétricos, todos com os botões lá em cima (para ficar longe do alcance de crianças talvez?). Forno também elétrico e uma estufa embaixo, algo que não vejo nos fogões nacionais há um bom par de décadas ou mais. Aliás, nem sei se era de fato uma estufa, parece que o pessoal guarda panelas ali.

Mas então a conta de energia elétrica deve ser alta? Pois é, isso eu não sei. Meu aluguel já incluía água, luz, gás, telefone e TV à cabo. Parece que é prática comum por lá alugar dessa forma. Aliás, é comum também que o aluguel já inclua geladeira, fogão, máquina de lavar, de secar e outros utensílios. Creio eu que o preço da energia para os canadenses não seja tão alto quanto os nossos. Além disso, os chuveiros não são elétricos. Toda casa tem água quente. Curiosamente a água é aquecida por… gás! Não usam nos fogões, mas usam nos aquecedores, inclusive no sistema de calefação, que é praticamente indispensável considerando os rigorosos invernos. Mas também há os aquecedores portáteis elétricos, esses devem gastar bastante. Voltando à água aquecida: além do chuveiro ela também está tipicamente disponível nas pias do banheiro e da cozinha, além da máquina de lavar. Se no Brasil a maioria das máquinas de lavar usam apenas a água fria, lá praticamente todas tem duas entradas de água: uma para água fria e outra para água quente.

Mas voltando ao arroz e ao feijão. Eis aí na foto abaixo a primeira refeição que eu mesmo preparei em terras canadenses. Note os temperos em pó ao fundo. Os bolinhos aí eu comprei prontos, congelados, e apenas assei.

Meu primeiro arroz com feijão em terras canadenses

Meu primeiro arroz com feijão em terras canadenses

Já que é para jantar sozinho, melhor na frente da TV assistindo Friends

Já que é para jantar sozinho, melhor na frente da TV assistindo Friends

A propósito. Assista sitcoms, muitas sitcoms. Há vários canais de TV onde elas passam em abundância: Friends, Seinfeld, etc. Obviamente não há opção de legendas em português, você tem no máximo o closed captions em inglês. Isso ajuda bastante a melhorar suas habilidades na língua. Em pouco tempo a quantidade de vezes que eu precisava pedir para alguém repetir alguma coisa porque não entendi diminuiu bastante. Algum tempo depois eu já estava ensinando um canadense completamente bêbado a chegar na estação de metrô. E nos entendemos perfeitamente. 🙂

Bolachas Recheadas (ou Biscoitos como falam erroneamente os não-paulistas 🙂 )

Depois que eliminaram a gordura trans, passaram a usar farinha integral, dentre outras medidas saudáveis, as bolachas recheadas brasileiras ficaram ruins. Hoje em dia a única que eu ainda gosto é a Chocolícia. Mas há uns bons anos atrás haviam opções muito gostosas como Trakinas, Bono, etc., cujo sabor era muito melhor do que o atual.

Pois bem, esse tipo de bolacha recheada praticamente não existe no Canadá, exceto pela Oreo, que eu experimentei por lá e também não gostei. A maioria dos “biscoitos” deles são o que nós chamamos de cookies no Brasil. Sim, eu sei que pelo dicionário cookie é biscoito em português, mas por algum motivo os brasileiros usam o nome em inglês especificamente para o tipo de cookie com aquelas gotinhas de (quase sempre) chocolate. O que conhecemos aqui como bolacha recheada ou biscoito parece ser conhecido como sandwich cookie por lá. De qualquer forma, faça um favor a você mesmo e dispense os cookies de supermercado. Prefira comprar cookies frescos nas cafeterias e afins. Eles são muito mais gostosos.

Quanto às bolachas tipo maizena, água e sal, etc. Há várias opções. Só preste atenção pois existem versões sem sal. Um belo dia eu peguei uma no supermercado e olhei a caixa só do lado escrito em francês e não reparei que era sem sal. Tinha gosto de nada. A propósito, tudo lá vem escrito em inglês e francês, visto que são duas as línguas oficiais. As vezes cada lado da embalagem traz uma língua.

Oreo não é gostosa. Os biscuits ali são bons. Já as crackers, só são boas na versão com sal. A outra tem gosto de nada.

Oreo não é gostosa. Os biscuits ali são bons. Já as crackers, só são boas na versão com sal. A outra tem gosto de nada.

Norte-americanos parecem gostar bastante de cereais tipo Sucrilhos no café da manhã. No Brasil tais produtos tem pouca variedade e um espaço limitado nas prateleiras. Nos supermercados de EUA e Canadá é comum encontrar seções inteiras apenas com esse tipo de produto, com uma variedade muito grande.

Yakult

Pois é. Eu gostava de Yakult e tomava um potinho por dia, quase todos os dias, na época em que fui para o Canadá. E lá não existe Yakult. Cheguei a pesquisar e me indicaram os supermercados chineses para encontrar similares. Acabei comprando esse Yakult chinês aí da foto abaixo no supermercado chinês do West Edmonton Mall. Ao contrário do Yakult, que precisa ser mantido refrigerado e tem validade de poucas semanas, os “Yakults” chineses ficavam fora da geladeira no supermercado e valiam mais de um ano. Deveria ter imaginado que não seria a mesma coisa. Cheguei em casa, coloquei na geladeira e quando fui experimentar: horrendo! No final das contas só pude tomar Yakult novamente quando voltei ao Brasil.

O "Yakult" da China. Tastes awful.

O “Yakult” da China. Tastes awful.

Quando perguntei para a minha landlord sobre as bebidas com lactobacilos ela fez uma cara de nojo terrível e perguntou: “Você gosta daquilo?”. Depois de tomar esse negócio aí eu entendi o motivo. Aliás, uma curiosidade sobre minha landlord. Ela é alemã, e a família ainda vive na Alemanha. Sempre que se referia à sua infância na Alemanha ela dizia “East Germany”, mesmo anos e anos após a queda do muro de Berlim.

O Supermercado Chinês do West Edmonton Mall é o T&T lá no fundo

O Supermercado Chinês do West Edmonton Mall é o T&T lá no fundo

Chocolates

Se você leu o artigo sobre a adega de chocolates deve saber o quanto eu levo chocolates a sério. Uma vantagem de morar no Canadá é que chocolate da Lindt está amplamente disponível e a preços mais acessíveis que no Brasil. Ainda assim, C$ 3,00 por uma barrinha de 100 gramas não é necessariamente barato. Mas há opções canadenses de preços mais acessíveis. A rede de drograrias Shoppers, por exemplo, tem chocolates no estilo suíço, porém fabricados em Toronto, com sabores similares ao Lindt, inclusive com uma linha que tem equivalentes para cada um dos sabores de Lindt.

Notei também que a maioria das barras de chocolate são de 100 gramas. Uma exceção é o Cadbury, que pode ser encontrado em barras de 200 gramas. No geral o chocolate canadense de supermercado é bom e não fica devendo para os chocolates de supermercado brasileiros (note que não estou considerando os artesanais e afins). Se você espera ver marcas que encontra no Brasil por lá, não vai ver muita coisa, exceto Kit Kat (que na minha época ainda não tinha sido relançado no Brasil), Kinder, e alguns outros. Até mesmo os da Nestlé eu esperava ver com mais frequência, mas são poucos os equivalentes.

Esqueça Lacta e Garoto! Apesar da Lacta ter sido adquirida pela Kraft Foods (que agora se chama Mondelez) e da Garoto ter sido adquirida pela Nestlé, as gigantes multinacionais optaram por deixar a marca restrita ao Brasil. Estratégia para vender caixa de bombom Garoto para gringo no free shop da área de embarque internacional dos aeroportos a preços exorbitantes? Acho que não é bem isso. Provavelmente o esquema é lucrar com a marca onde ela já é forte, mas sem interesse de colocá-la para criar mercado e competir com seus próprios outros produtos onde ela é desconhecida. A Coca-Cola faz a mesma coisa com seus refrigerantes regionais. Se por um lado Coca-Cola você encontra no mundo todo, o Guaraná Jesus, que hoje é da Coca-Cola, continuou restrito ao seu local de origem: o Maranhão.

Frutas

Não, você não precisa parar de comer bananas no Canadá. Elas estão amplamente disponíveis por lá. Pelo menos as nanicas, pois não me lembro de ter visto outras variedades. A diferença é que o preço por lá é maior, pois elas costumam ser importadas de países da América Central. Se forem orgânicas então, o preço será maior ainda. Por outro lado morangos, maçãs, e outras frutas de regiões frias tendem a ser mais baratos que no Brasil, naturalmente.

Aliás, isso também deve ser aplicar a vários outros tipos de alimentos. Salmão, por exemplo, um peixe bastante caro no Brasil, mas tem preços bem mais acessíveis no Canadá.

Refrigerantes

Coca-Cola, Sprite, Pepsi, etc. são quase universais. Você vai encontrá-los facilmente no Canadá, apenas em embalagens com formatos um tanto diferentes das nossas. Aliás, aparentemente cada país adota um padrão diferente de latas e garrafas de refrigerante. Também há vários refrigerantes estranhos de sabores que você não vê no Brasil. Apenas esqueça guaraná, pois aparentemente refrigerante de guaraná não é popular por lá. Porém não é algo que eu realmente tenha procurado, apesar de gostar bastante de guaraná no Brasil.

Máquina de Refrigerantes

Máquina de Refrigerantes

Máquina de Bebidas Isotônicas

Máquina de Bebidas Isotônicas

Máquina de Leite e Máquina de Salgadinhos e Doces

Máquina de Leite e Máquina de Salgadinhos e Doces

Churrasco

Sim, o que você ouviu procede. Canadense faz churrasco com carne de hambúrguer e salsicha. Participei de alguns deles e aparentemente eles se satisfazem com isso.

Até os brasileiros no Canadá acabam fazendo churrasco no estilo canadense

Até os brasileiros no Canadá acabam fazendo churrasco no estilo canadense

E encerrando…

Note que este artigo reflete minhas impressões vivendo na cidade de Edmonton, capital da província de Alberta. Provavelmente muitas impressões não se aplicam ao Canadá inteiro. Em cidades com muitos brasileiros, como Toronto, é possível que produtos brasileiros sejam mais facilmente encontrados. Também falei aqui de uns poucos produtos, particularmente os que tive mais contato. Sei, por exemplo, da dificuldade de encontrar leite condensado bom no Canadá. Eu sei que substituir o Leite Moça das receitas por outro leite condensado qualquer dá diferença de sabor, mas eu me contentei com chocolates, cookies, e sorvetes como sobremesa enquanto vivi por lá, então esse não foi um problema que eu tenha enfrentado.

E antigos leitores da série sobre o Canadá, por favor se manifestem se vocês ainda estiverem por aqui depois de todo esse tempo. 😉

Sobre o autor

Skooter

Skooter é cientista da computação e fundador do Skooter Blog. Tem interesse em tudo relacionado a tecnologia e gosta de economizar fazendo suas compras diretamente do exterior.

Link permanente para este artigo: http://www.skooterblog.com/2014/08/30/canada-alimentos-e-outros-assuntos-aleatorios/

Deixar uma resposta