out 05 2010

DealExtreme: NS-K330 – Servidor USB/NAS/FTP/SAMBA/Impressão/UPNP/Compartilhamento + Cliente de BitTorrent

Olá amigos do Skooter Blog, hoje falo do NS-K330 – Servidor USB/NAS/FTP/SAMBA/Impressão/UPNP/Compartilhamento + Cliente de BitTorrent (Standalone BitTorrent BT Client + USB/NAS/FTP/SAMBA/Printer/UPNP Sharing Network LAN Server) adquirido na DealExtreme. Já falei dos detalhes da compra no último artigo, então hoje falarei dos detalhes do NS-K330.

Como disse no outro artigo, o NS-K330 é um mini-computador com interface de rede 10/100Mbps e duas portas USB 2.0. Ele pode ser conectado em uma rede diretamente em um roteador e assumir uma série de funções. Uma delas é a função de NAS (Network Storage Attached), que permite conectar a ele um ou mais HDs externos, pendrives ou outros dispositivos de armazenamento de forma que eles sejam compartilhados com todos os computadores da rede. Ele também faz a função de servidor de impressão, podendo compartilhar uma impressora com todos os micros da rede, esta é uma das funções que me fez adquirí-lo. Para quem faz bastante downloads de torrents mas lamenta ter de deixar o micro ligado só para isso (gastando energia elétrica), ele também tem um client de BitTorrent embutido e pode ficar baixando os arquivos em um HD ou pendrive que esteja ligado à ele, deixando o micro livre para ser desligado.

NS-K330 - Servidor USB/NAS/FTP/SAMBA/Impressão/UPNP/Compartilhamento + Cliente de BitTorrent

NS-K330 – Servidor USB/NAS/FTP/SAMBA/Impressão/UPNP/Compartilhamento + Cliente de BitTorrent

O firmware original do NS-K330 é bastante razoável, oferecendo uma série de opções, dentre as quais todas as que estão citadas no título do artigo. Mas quase todas as pessoas que adquirem o NS-K330 optam por instalar o SnakeOS, um sistema operacional de desenvolvedores independentes feito especialmente para o NS-K330 (e outros aparelhos compatíveis). Eu fiz o upgrade logo no primeiro dia, então daqui em diante as características que descreverei são do NS-K330 com o SnakeOS instalado. O SnakeOS parece ser bastante robusto, no momento em que escrevo este artigo ele já está ligado a 33 dias sem necessidade de reiniciar. Aliás, desde que instalado e configurado ele nunca precisou ser reiniciado.

Parte traseira da caixa do NS-K330, mostrando algumas de suas possibilidades

Parte traseira da caixa do NS-K330, mostrando algumas de suas possibilidades

O NS-K330 com SnakeOS conectado ao roteador vai adquirir um endereço IP caso haja um servidor DHCP na rede (normalmente há), e você poderá acessá-lo pelo endereço IP adquirido ou simplesmente por snake. No navegador digite http://snake para acessar sua interface web. O hostname pode ser definido, de forma que você pode trocar o nome snake pelo que mais lhe agradar. No firmware original o nome é nas.

Vou tentar falar de todos os recursos, e para evitar esquecer algum vou seguir a ordem das opções do menu do SnakeOS. A segunda opção é para trocar a senha do administrador, na versão atual (1.2) ainda não é possível trocar o username. Nas opções de LAN é possível definir se o SnakeOS vai obter seu IP de um servidor DHCP. Também é possível configurar IP, Netmask, Gateway e servidores DNS manualmente. Os três primeiros octetos do endereço MAC são fixos, mas os outros três são configuráveis, assim garante-se não haverão problemas ao utilizar vários NS-K330 na mesma rede. A interface web funciona na porta 80 por padrão, mas isto também pode ser modificado a gosto. Data e hora podem ser ajustamente manualmente ou sincronizadas automaticamente com um servidor NTP.

O NS-K330, com fonte, cabo de rede, cabo USB e manuais

O NS-K330, com fonte, cabo de rede, cabo USB e manuais

Nas portas USB você pode ligar pendrives, discos rígidos ou outros dispositivos de armazenamento para serem compartilhados na rede. É possível até mesmo ligar um HUB USB e ligar vários dispositivos à ele, então apesar de haverem apenas duas portas USB, você não estará limitado a dois dispositivos. Pela interface web você pode dar um nome para cada disco, formatá-los e compartilhá-los.

Agora vamos ao menu de serviços. Nele temos o cliente de DDNS. Este serviço é extremamente útil para quem não tem IP fixo em sua conexão à internet (praticamente todos os usuários domésticos) mas quer ter uma forma de acessar seu PC remotamente. Você pode criar um conta em serviços de DDNS como o No-IP, DynDNS e ZoneEdit (os três suportados pelo SnakeOS). Dessa forma, cada vez que seu IP muda, o Snake avisa o servidor DDNS e este atualiza sua tabela. Quando você quer acessar seu NS-K330, seu PC, etc. remotamente basta utilizar o endereço que você criou no serviço de DDNS, algo como seunome.no-ip.com, por exemplo.

O pequeno, mas poderoso NS-K330

O pequeno, mas poderoso NS-K330

O NS-K330 com SnakeOS também conta com um servidor de FTP, tanto anônimo quanto autenticado, de forma que você pode fazer download ou upload de arquivos para os dispostivos de armazenamento conectados ao NS-K330 utilizando qualquer cliente de FTP, tanto na rede local quanto remotamente.

O compartilhamento de arquivos em rede local é feito com o SAMBA, e também é possível configurar o acesso anônimo ou utilizando login/senha. O nome do grupo de trabalho também pode ser especificado.

Também está disponível um servidor de SFTP/SSH para transferência de arquivos e acesso ao console de forma segura. O SnakeOS é baseado em Linux, portanto quem tem conhecimento dos comandos básicos do Linux não terá dificuldade com a linha de comando do terminal.

A parte inferior do NS-K330, a etiqueta contém informações úteis (válidas para o firmware original)

A parte inferior do NS-K330, a etiqueta contém informações úteis (válidas para o firmware original)

Com ajuda de um busybox com o Ether-wake pude criar comandos simples para enviar pacotes Wake-on-LAN (WOL) para o PC. E para que serve um pacote WOL? Explico. Todas as placas-mães e sistemas operacionais modernos tem uma opção de “suspender” (tambem chamada “dormir”), que coloca o micro em um estado de espera, de modo que ele consuma uma quantidade bem pequena de energia, podendo desligar praticamente tudo (HD, processador, etc.) mantendo apenas a memória RAM com alimentação. Dessa forma, ao retornar do estado de espera, o micro estará pronto para uso, sem necessidade de um novo boot, pois a memória RAM ficou ativa e guardou o estado anterior à suspensão. Você pode configurar o micro para sair do estado suspenso clicando no botão ligar ou mesmo com uma tecla qualquer ou um clique do mouse. Mas e se você precisar acessar seu computador remotamente (via internet) e ele estiver suspenso? Você vai ligar pra casa e pedir pra alguém ligá-lo? Algumas placas de rede oferecem opções de monitorarem o tráfego mesmo quando o micro está em estado suspenso, acordando-o em determinadas condições, que podem ser o recebimento de um pacote mágico (Magic Packet) ou de determinados padrões.

As portas USB 2.0 do NS-K330

As portas USB 2.0 do NS-K330

A opção de padrões é problemática, pois é comum que outros computadores/dispositivos de rede enviem pacotes que acabam ativando o computador suspenso desnecessariamente. O pacote mágico funciona, mas infelizmente essa opção só funciona em rede local, pois os pacotes mágicos são enviados na rede por difusão, contendo o endereço MAC do micro a ser acordado. O micro identifica esse padrão e acorda. E por que não um pacote endereçado por IP? Porque o IP é um endereço lógico, e o micro suspenso não o mantém, a maioria dos roteadores não encaminharão um pacote IP para um micro suspenso mesmo que seu endereço IP seja explicitamente associado ao endereço MAC. O endereço MAC, por outro lado, é um endereço físico, e o roteador encaminhará pacotes para a placa de rede correspondente sempre que essa estiver conectada (e ela mantém a conexão mesmo com o micro suspenso). Então você pode mandar um pacote mágico para ativar um micro suspenso via rede local, mas não pela Internet. Roteadores na Internet não encaminham pacotes de difusão, por questão de tráfego e segurança, assim é impossível enviar um pacote WOL via internet. Alguns poucos roteadores (especialmente com firmware alternativo) permitem configurar uma determinada porta que aceitará os pacotes mágicos e os encaminhará por difusão na rede, assim você poderia enviar o pacote com o endereço MAC do micro-destino e o endereço IP válido do roteador, mas essa opção fica restrita aos poucos donos de tais roteadores.

Porta LAN, botão de reset, conector da fonte e LEDs de funcionamento do NS-K330

Porta LAN, botão de reset, conector da fonte e LEDs de funcionamento do NS-K330

Mas com o NS-K330 esse problema pode ser resolvido facilmente. Ele pode ficar ligado o tempo todo pois consome muito pouca energia. Dessa forma, precisando acordar um micro suspenso remotamente, basta conectar ao NS-K330 via SSH (lembrando de configurar o roteador para redirecionar a porta 22 para o NS-K330) e enviar o pacote mágico na rede local com o Ether-wake. Pronto, o micro sai do modo suspenso e você poderá se conectar a ele.

Tela inicial da interface web do SnakeOS

Tela inicial da interface web do SnakeOS

E agora vamos continuando com os recursos do NS-K330, ainda no menu de serviços você pode configurar um arquivo de troca (swap) em um dos dispositivos de armazenamento, para ser utilizado como memória virtual, adicionando assim 256MB de memória virtual aos 32MB de RAM do NS-K330.

O padrão Syslog de mensagens também é suportado pelo NS-K330. É possível indicar um path local ou um endereço IP. Há também o serviço de Telnet e um servidor Web, que pode ser bastante útil para quem quer ter um pequeno site sem ter que pagar por hospedagem ou usar hospedagem gratuita. Não me interessei muito pelo servidor Web no momento porque hoje o Skooter Blog está hospedado em um bom serviço de hospedagem norte-americano (HostGator), mas durante muito tempo ele ficou hospedado em um servidor Web que eu mesmo mantinha em um micro antigo, que tinha de ficar o tempo todo ligado. Nessa época o NS-K330 certamente seria uma opção a ser considerada.

O menu com as partições dos dispostivos de armazenamento conectados ao SnakeOS

O menu com as partições dos dispostivos de armazenamento conectados ao SnakeOS

O último ítem do menu de serviços é o Transmission, o cliente de Torrent que tem sua própria interface web, acessível por padrão na porta 9091 do NS-K330. Na interface do SnakeOS é possível fazer algumas configurações básicas, como a pasta para armazenar os torrents, as velocidades de download e upload, e os dias e horários em que o cliente deve ficar ativo. Ainda não utilizei muito o Transmission, mas ele parece ter tudo que um bom cliente de torrent precisa.

O terminal do do SnakeOS

O terminal do do SnakeOS

Em seguida vem o menu de compartilhamento. A primeira opção é a de compartilhar impressoras. Basta conectá-las a uma das portas USB. A forma utilizada para compartilhamento é a mesma utilizada pela HP em suas impressoras de rede (dados RAW na porta TCP 9100), portanto é algo relativamente simples. A única dificuldade que tive é que o Windows não detecta automaticamente qual é o driver necessário, portanto foi necessário especificá-lo. A impressora que instalei foi uma antiga HP Deskjet 930c, que graça ao NS-K330 virou uma impressora de rede e não necessita de nenhum micro ativo ligado como servidor de impressão (na verdade o NS-K330, que está sempre ligado, é que faz o papel de servidor de impressão).

Compartilhamento de impressoras no NS-K330 com o SnakeOS

Compartilhamento de impressoras no NS-K330 com o SnakeOS

Ainda no menu de compartilhamento é possível definir vários compartilhamentos em pastas específicas dos dispositivos de armazenamento, configurando se serão compartilhamentos de leitura e escrita ou somente leitura, além de especificar se o compartilhamento é disponível para todos ou apenas para algum usuário específico.

E o último ítem do menu de compartilhamento é o que permite incluir, alterar e excluir usuários, que valem tanto para o compartilhamento via rede, quanto para o FTP. É possível especificar o diretório home de cada usuário no FTP.

Monitor de sistema do SnakeOS no NS-K330

Monitor de sistema do SnakeOS no NS-K330

Em seguida, temos o menu de sistema. Nele temos opção de salvar um arquivo com as configurações (para backup), restaurar um arquivo de configurações, e restaurar as configurações padrão. A segunda opção mostra o status do dispositivo, com informações como versão do kernel, IP, memória RAM total e livre, swap total e livre e o uptime.

Ainda no menu de sistemas temos uma opção para visualizar o log, um monitor de sistema que mostra graficamente o uso da RAM, do swap, a carga da CPU e o uso dos discos conectados. Finalmente, a última opção do menu de sistema serve para atualizar o firmware.

Posso concluir que o NS-K330 é um excelente dispositivo com muitas possibilidades. Por enquanto estou usando principalmente o servidor de impressão e o Ether-wake. O servidor de arquivos eu já tenho disponível no roteador, mas caso não tivesse sem dúvida estaria utilizando o do NS-K330 também, que é um de seus principais atrativos. Estou certo que outros usuários também encontrarão muito uso no cliente de torrent e demais funções.

E vou encerrando por aqui, se você também quiser fazer suas compras na DealExtreme, direto de Hong Kong, clique aqui e boas compras.

Atualização (12/05/2011): adicionado um vídeo mostrando o NS-K330 – Servidor USB/NAS/FTP/SAMBA/Impressão/UPNP/Compartilhamento + Cliente de BitTorrent (Standalone BitTorrent BT Client + USB/NAS/FTP/SAMBA/Printer/UPNP Sharing Network LAN Server):

[youtube width=”490″ height=”390″]http://www.youtube.com/watch?v=Rh_Ruts_AJg[/youtube]

Atualização (13/04/2012): Adicionado o busybox_with_etherwake a pedido do Fabio. Para utilizar, descompacte o arquivo em algum local do sistema de arquivos do NAS e use o comando:

./busybox_with_etherwake ether-wake 00:00:00:00:00:00

Substitua 00:00:00:00:00:00 pelo endereço MAC da placa de rede do equipamento a ser acordado. Para facilitar recomendo colocar esta linha em um arquivo de texto e apenas executar o arquivo criado.

Atualização (10/07/2012): Meu NS-K330 – Servidor USB/NAS/FTP/SAMBA/Impressão/UPNP/Compartilhamento + Cliente de BitTorrent (Standalone BitTorrent BT Client + USB/NAS/FTP/SAMBA/Printer/UPNP Sharing Network LAN Server) já completou mais de um ano de uptime. Ele está neste momento ligado por 383 dias sem reinício, conforme mostra a tela abaixo. Estabilidade impressionante do hardware e do Snake OS.

NS-K330 com mais de um ano de uptime

NS-K330 com mais de um ano de uptime

Link permanente para este artigo: https://www.skooterblog.com/2010/10/05/dealextreme-ns-k330-servidor-usbnasftpsambaimpressaoupnpcompartilhamento-cliente-de-bittorrent/

Deixe um comentário

24 Comentários em "DealExtreme: NS-K330 – Servidor USB/NAS/FTP/SAMBA/Impressão/UPNP/Compartilhamento + Cliente de BitTorrent"

Notificar sobre
avatar
Ordenar por:   mais novos | mais velhos | mais votados
wpDiscuz