maio 29 2002

Rodovias, Pedágios, IPVA… pra onde vai tanto dinheiro?

Quem tem viajado na rodovia Anhanguera nas últimas semanas vem enfrentando um enorme congestionamento. Resolveram consertar uma ponte e com isso o tráfego é desviado para a outra pista ou é concentrado em apenas uma das faixas, e com isso formam-se quilometros de congestionamento, levando horas para conseguir atravessá-lo.

Da última vez que passei por este congestionamento contei 3 acidentes, envolvendo 6 carros no total. Todos ocorridos por incompetência da concessionária AutoBan. Carros que vêm andando normalmente a 110 Km/h de repente encontram a pista toda congestionada com carros parados e muitas vezes não conseguem frear em tempo de evitar uma colisão. Se não é possível evitar o congestionamento, o mínimo que poderiam fazer é sinalizar a pista de forma que as pessoas saibam que o trânsito está parado adiante e dirijam com cautela.

E depois de enfrentar mais de uma hora naquela de “acelera um poquinho, anda 3 metros e para mais 1 minuto”, o motorista ainda tem de pagar pedágio normalmente.

E por falar em pedágios, será que é realmente necessário cobrar tão caro? Não vou dizer aqui que sou contra pedágios, afinal sabemos que a pista precisa ser conservada e é justo que este valor seja cobrado de quem a utiliza. Quem andou pela pista Rio Claro -> Piracicaba antes da duplicação e anda agora sabe do que eu estou falando. Mas será que é realmente necessário cobrar tão caro?

Apenas para ir de Rio Claro até São Carlos gasta-se R$ 3,60 no pedágio Itirapina/São Carlos. Na hora de voltar gasta-se mais R$ 5,80 no pedágio próximo à Rio Claro. Total: R$ 9,40. Não serão abusivos estes valores?

Além disso as rodovias nunca deveriam ter sido entregues na mão de concessionárias, infelizmente os paulistas não souberam votar nas últimas eleições. Seria muito melhor se o governo tivesse competência para administrar as estradas, sem gente metendo a mão no dinheiro arrecadado, sem obras superfaturadas, e sem lucros. Receita = Despesa. Teríamos pedágios mais baratos, pagaríamos somente o necessário para manter as estradas em ordem. E de preferência sem fazer aquele serviço de corno que a Autoban vem fazendo na Anhanguera.

E se o dinheiro dos pedágios vai para manter as pistas, então para onde é que vai o dinheiro do IPVA?

Link permanente para este artigo: https://www.skooterblog.com/2002/05/29/rodovias-pedagios-ipva-pra-onde-vai-tanto-dinheiro/

Deixe um comentário

9 Comentários em "Rodovias, Pedágios, IPVA… pra onde vai tanto dinheiro?"

Notificar sobre
avatar
Ordenar por:   mais novos | mais velhos | mais votados
marcelo fernandes cidade
Visitante
marcelo fernandes cidade

Acho um absurdo o valor do pedágio no final da Anhanguera SP/MG,além dos 2 ultimos pedágios serem os mais caros a rodovia é uma porcaria,com buracos e um recap bem sem vergonha e a ARTESP nada faz? Isso é uma Vergonha, Governador está na hora de rever seus conceitos ajuda ai …. assim não dá

marcelo fernandes cidade
Visitante
marcelo fernandes cidade

Acho um absurdo o valor do pedágio no final da Anhanguera SP/MG,além dos 2 ultimos pedágios serem os mais caros a rodovia é uma porcaria,com buracos e um recape bem sem vergonha e a ARTESP nada faz? Isso é uma Vergonha, Governador está na hora de rever seus conceitos ajuda ai …. assim não dá

MARIO BERALDO
Visitante
MARIO BERALDO

GOSTARIA DE SABER PARA QUEM VAMOS QUESTIONAR O QUE ELES FAZEM COM TODO ESTE DINHEIRO????

PORQUE ENTÃO PAGAMOS IPVA, ESTA MINHA PERGUNTA NÃO QUER SE CALAR

jair mario
Visitante
jair mario

Pistas em condições, sem buracos, perfeitas ah se for assim não haveria necessidade de cobrar pedagio, a ma qualidade da direito da cobrança dos pedagios, diga-se de passagem A B S U R D A M E N T E caros.
Mas o IPVA, o mais caro de todo o país, 50% é do Estado baita grana para o Sr. Serra não fazer nada, ou melhor recuperar outras rodovias e entregar a particulares, e os outros 50% fica para o municipio em que o veiculo é licenciado, que dependendo do municipio não é nada porém para os grandes municipios é um dinherão, que minguem diz para onde vai.

Admin

Só pra dar um update no artigo, como tudo nesse país, os preços subiram, e agora para ir de Rio Claro até São Carlos gasta-se R$ 6,00 no pedágio Itirapina/São Carlos. Na hora de voltar gasta-se mais R$ 10,00 no pedágio próximo à Rio Claro. Total: R$ 16,00. Se R$ 9,40 já era abusivo, imagine então R$ 16,00. Um aumento de mais de 60%, o salário de alguém aumentou isso de lá pra cá? Acho que não…

Ahh, mas isso não vai ficar assim, vai ficar pior! Todo primeiro de julho tem aumento, e como primeiro de julho vem aí…

Glauco
Visitante
Glauco
Tá na hora do Brasil acordar. Esta cobrança de padágios já está sendo vista como uma coisa normal. É absurda ! Com certeza existe muita corrupção por trás disso. Se conseguirmos descobrir para onde vai todo esse dinheiro arrecadado diáriamente nas estradas, vamos , com certeza, encontrar dinheiro usado em campanhas políticas, depositado em paraísos fiscais em nome de laranjas de figurões da política brasileira. Não se exclua nenhum nome sequer pois os que seriam inocentes pecam pela conivência. Sabemos que em tudo há corrupção e tambem sabemos que meia duzia de honestos representantes do povo nada poderiam fazer. Tá na hora da reforma fiscal, com a simplificação dos impostos e eu acredito que deveriam ser pré-pagos, pois o que detona o país é o ¨dinheiro de mentira¨, o cheque pré-datado, as vendas a perder de vista, enfim , o crédito fácil e inconsequente. Deveríamos estimular os consórcios, que tambem é uma forma de poupança .Qualquer pessoa abre uma empresa com capital ¨a integralizar¨ e abre conta em banco e ganha talão de cheque e sai a gastar, gerar impostos tudo na expectativa, nada sério.Isto gera mais expectativas, vai para as estatísticas como dado concreto e lá vai o Brasil… Leia mais »
Luiz Felipe
Visitante
Luiz Felipe

Na Argentina, para que o pedágio possa ser cobrado, é necessário que na autopista existam pelo menos quatro faixas de rolamento, com velocidade máxima que, dependendo da via podem chegar até 130 km/h. Deve haver uma via alterntiva paralela de duas fai,xas, sem pedágio, chamada coletora, para que o fluxo local não seja obrigado a usar a autopista.
Agora a melhor parte, a qualidade do asfalto é perfeita e se o usuário passar mais de dois minutos na fila do pedágio a concessionária é obrigada por lei a liberar as cancelas, sem cobrar, até que o fluxo seja regularizado. Algo parecido com o Brasil?

Luiz Felipe
Visitante
Luiz Felipe

Na Argentina, para que o pedágio possa ser cobrado, é necessário que na autopista existam pelo menos quatro faixas de rolamento, com velocidade máxima que, dependendo da via podem chegar até 130 km/h. Deve haver uma via alterntiva paralela de duas faixas, sem pedágio, chamada coletora, para que o fluxo local não seja obrigado a usar a autopista.
Agora a melhor parte, a qualidade do asfalto é perfeita e se o usuário passar mais de dois minutos na fila do pedágio a concessionária é obrigada por lei a liberar as cancelas, sem cobrar, até que o fluxo seja regularizado. Algo parecido com o Brasil?

carlos
Visitante
carlos

O brasileiro esta é fudido com este governantes.

wpDiscuz