ago 26 2015

Problemas e Soluções: Samsung Galaxy Grand Duos não funciona mais com chip da Vivo (conexão de dados)

Este problema parece estar afetando muitos (ou todos) os donos de celulares Samsung Galaxy Grand Duos com firmwares oficiais e que utilizam chip (SIM card) da operadora Vivo. O sintoma é uma mensagem “Sem Cartão SIM” que fica aparecendo constantemente. Basta que o celular conecte-se na rede de dados da Vivo para que a mensagem apareça, desligando o chip e interrompendo toda conexão de voz e dados de ambos os chips, ainda que um deles seja de outra operadora. Em seguida o chip é reconhecido novamente, a mensagem aparece novamente e o ciclo recomeça.

A única forma de utilizar o celular nessas condições é desabilitar a conexão de dados (“Dados Móveis”) ou deixar a conexão de dados por conta do outro SIM card, desde que ele não seja da Vivo também. No meu caso, o segundo chip é da TIM, e passei a utilizá-lo para conexão de dados temporariamente enquanto buscava por outra solução.

Apesar dos muitos relatos deste problema, e somente no site do Reclame Aqui há pelo menos uma dezena deles, a Samsung parece estar pouco se importando. Eles já abandonaram o Galaxy Grand Duos há bastante tempo. O celular foi lançado com o Android 4.1 e recebeu uma única atualização para o 4.2, que ainda saiu com bastante atraso. Desde então não houve mais atualizações. Por essas e outras (como o problema da bateria) é que não pretendo mais comprar nada da Samsung.

Buscando por uma solução, resolvi arriscar a instalação do CyanogenMod versão 12. O CyanogenMod é um firmware livre e gratuito, construído pela comunidade. A versão 12 é baseada no Android 5.0.2 (Lollipop). O objetivo do pessoal do CyanogenMod é oferecer um firmware com maior desempenho e confiabilidade que os originais. E fico feliz em poder afirmar que o CyanogenMod 12 e o Lollipop resolveram completamente o meu problema com o chip da Vivo.

Vale lembrar que a instalação do CyanogenMod envolve algumas operações pouco triviais, como a instalação do ClockworkMod e outros. Inclusive o Galaxy Grand Duos não é suportado oficialmente pelo CyanogenMod. A versão para o Grand Duos é não oficial. De qualquer forma, há risco real de que seu celular vire um peso de papel. Se isso acontecer a culpa não é dos desenvolvedores e muito menos minha. Se quiser instalar, assuma os riscos. A instalação de um firmware não-oficial também invalida a garantia, se é que alguém tem um Grand Duos ainda na garantia.

É bom atentar também para a lista de problemas conhecidos do CyanogenMod 12 no Grand Duos. A mais notável talvez seja a falta do Rádio FM. Eu nem me lembro de ter usado o rádio FM no Grand Duos em todos os mais de 2 anos que o tenho, então para mim não foi uma grande perda.

Como já tinha um pouco de experiência em instalar firmwares alternativos, não tive grandes problemas em seguir apenas as instruções dadas no forum em que a ROM foi apresentada. Até procurei um tutorial mais detalhado, mas parece que hoje em dia só se faz tutorial através de vídeo no Youtube. Sinto falta dos tempos de tutoriais com texto e no máximo alguns screenshots. Hoje não importa quão simples seja o procedimento, pode ser algo que se faz em 30 segundos, mas haverá no Youtube um vídeo de 10 minutos ou mais ensinando como fazer. Até entendo que isso acontece porque os autores dos tutoriais buscam a remuneração das propagandas do Youtube, e eles realmente merecem ser recompensados por seu trabalho. Mas que está ficando chato, isso está! 🙂

No post do forum xdadevelopers já há links para a ROM e para o adicional com os Google Apps. Também há o link para o ClockworkMod recovery with SELinux support, que precisa ser instalado. É preciso que o celular já esteja com o Android 4.2, o que deve ser o caso para todos que fazem as atualizações automáticas. Para instalar o ClockworkMod recovery with SELinux support (baixei a versão .tar) é preciso do Odin, o qual baixei aqui. Peguei a última versão que no momento é a 3.10.6. Os drivers da Samsung eu já tinha instalado, acho que o Windows já instala por padrão quando o celular é conectado, pois nunca instalei a porcariada da Samsung no PC em questão.

Odin deve ser executado como administrador. Isso é importante, se executar sem ser como administrador ele abre sem reclamar, mas fica com a interface zoada (pelo menos no Windows 10 que estou usando). Inicializei então o celular no modo Recovery, segurando os botões Home, Volume para baixo e Power juntos. Depois que aparece o nome do celular na tela é só soltar o Power, mas manter os outros dois botões pressionados até carregar o modo Recovery. Então conectei o celular ao PC via USB. No Odin aparece então a porta COM em que o celular foi carregado. Carreguei o .tar do ClockworkMod recovery with SELinux support na caixa AP do Odin. Nas opções, deixei marcado apenas “Auto Reboot” e “F. Reset Time”, que é o padrão, mas é bom conferir. Aí é só clicar Start e aguardar. Muito importante não desligar o PC, nem desconectar ou desligar o celular nesse momento.

Muita atenção para o momento em que o Odin termina o serviço e o celular reinicia. Nesse momento é preciso segurar Home e Volume para Baixo novamente. Falhar em fazer isso faz o Recovery voltar para a versão original e aí a instalação do CyanogenMod não funciona.

Depois é só reiniciar e dessa vez segurar Home e Volume para Cima para entrar na ClockworkMod recovery with SELinux support. No cartão micro SD já devem estar os dois arquivos ZIP contendo o CyanogenMod e os Google Apps, respectivamente. Outro detalhe importante: o ClockworkMod não lê o sistema exFAT. Se você tem um cartão maior que 32GB, como é o caso do meu micro SD de 64GB, provavelmente ele estará formatado com o sistema de arquivos exFaT e você não conseguirá lê-lo com o ClockworkMod. Sim, exFAT funciona perfeitamente no Android, mas os desenvolvedores do ClockworkMod não podem incluir o suporte ao exFAT legalmente, por questões de licenciamento da Microsoft, que é dona do formato. FAT32, por outro lado, funciona perfeitamente. Então, para fazer a atualização eu usei o cartão de 2GB que veio com o Grand Duos. Depois da atualização apenas coloquei o micro SD de 64GB de volta e tudo bem.

Feito o boot com o ClockworkMod, usei a opção “wipe data” conforme recomendado, e em seguida instalei os dois ZIPs, com a ROM e com o Google Apps. Aí foi só reiniciar e pronto, eu já estava com o CyanogenMod 12 instalado. Ao logar no Google já começou a re-instalação de todos os meus programas, porém dados e configurações, inclusive as de rede WiFi, não foram recuperadas.

São pouco menos de 24 horas com o CyanogenMod 12, então ainda é cedo para avaliar. Em geral minha experiência tem sido positiva. O sistema parece ter ficado mais rápido do que antes, mesmo com todos os aplicativos já instalados. A navegação ficou mais fluída, a abertura de programas ficou mais rápida, e até os aplicativos parecem estar mais rápidos. O gerenciamento de dois cartões é um pouco mais limitado que com o firmware original, mas até gostei da ideia de escolher qual chip quero usar cada vez que vou fazer uma ligação ou enviar um SMS, pois no sistema original da Samsung frequentemente eu ia fazer algo e precisava cancelar para voltar e trocar o cartão selecionado.

Senti falta de uma opção para configurar a câmera para salvar fotos no cartão, e tive que apelar para um aplicativo para isso: FolderMount. O aplicativo requer root, então tive de fazê-lo. Para isso é preciso entrar na opção “Sobre o telefone” e clicar 7 vezes sobre o item “Número da versão”. No novo menu “Opções do desenvolvedor” é possível ativar o root.

Dos aplicativos que testei até o momento, todos funcionaram. Uma exceção fica para o SD Maid, que funcionou e até liberou um bom espaço no meu sistema, mas quando executado faz o cartão de memória fica inacessível e o celular precisa de um reboot para voltar a acessá-lo. Como é algo que só vou executar eventualmente, acho que dá para conviver.

Agora ficarei na torcida para que o CyanogenMod continue funcionando bem no Samsung Galaxy Grand Duos e esperar não ser surpreendido por novos bugs que me impeçam de usar a rede de dados da Vivo ou qualquer outro item. Com isso o Grand Duos vai ganhando uma sobrevida e posso adiar a compra de um celular novo por mais algum tempo.

Por fim, é interessante notar como desenvolvedores da comunidade, que não recebem nada por seu trabalho na mesma, muitas vezes fazem um trabalho melhor do que os fabricantes de celulares que estão ganhando muito bem para isso.

Samsung Galaxy Grand Duos rodando o CyanogenMod 12 (Android 5.0.2 - Lollipop)

Samsung Galaxy Grand Duos rodando o CyanogenMod 12 (Android 5.0.2 – Lollipop)

Atualização (28/08/2015): Uma solução rápida para quem quer manter o sistema operacional original é entrar nas configurações de APN da Vivo e restaurar a configuração de fábrica. Não sei se é uma solução definitiva, mas a princípio funciona.

Atualização (31/08/2015): Atualizado link do Odin, pois aparentemente há vários sites ilegítimos distribuindo malware usando o nome do Odin.

Link permanente para este artigo: https://www.skooterblog.com/2015/08/26/problemas-e-solucoes-samsung-galaxy-grand-duos-nao-funciona-mais-com-chip-da-vivo-conexao-de-dados/

Deixe um comentário

3 Comentários em "Problemas e Soluções: Samsung Galaxy Grand Duos não funciona mais com chip da Vivo (conexão de dados)"

Notificar sobre
avatar
Ordenar por:   mais novos | mais velhos | mais votados
Zé
Visitante

É meu amigo, estamos condenados a comprar outro aparelho! Então lendo seu texto, descobri que deve ser por isso que a Samsung não atualiza seus aparelhos: Porque sabe que no Brasil você paga uma fábula pra empresa para adquirir outro.

Otávio
Visitante

Basta ir numa loja Vivo e eles inserem um número em sua configuração ,sem precisar instalar firmware

wpDiscuz