ago 12 2014

Mega Drive III da Tec Toy: Embalagens e Acessórios

Colecionar consoles e cartuchos de videogames antigos clássicos não é um hobby apreciado por todos. Das crianças e adolescentes de agora, muitos não querem saber de nada que tenha gráficos inferiores aos consoles da última geração. Mesmo dos que tiveram e jogaram esses videogames clássicos em sua infância, alguns já os descartaram. Já ouvi até relatos de quem jogou o console clássico no lixo, o que no mundo ideal seria punido com a obrigação de jogar E.T. do Atari 2600 por duas horas diárias durante cinco anos consecutivos.

Mas quem guardou seu console clássico tem até hoje uma fonte de diversão de primeira. Até os gráficos e sons tem seu charme, já que fazer música para os consoles clássicos era mais difícil que fazer música tradicional, com abundância de instrumentos. Era preciso fazer boa música dentro das limitações dos chips geradores de som dos consoles. Foi assim que grandes compositores como Yuzo Koshiro se destacaram. O mesmo princípio se aplica aos gráficos. Desenhar algo que pudesse ser identificado com tão poucos pixels era um verdadeiro desafio.

O maior valor dos consoles clássicos é sentimental. Jogar novamente um console clássico traz de volta memórias da infância, da adolescência, ou no caso dos mais novos simplesmente te dá a oportunidade experimentar algo que agora é parte da história. Mas o valor monetário também existe. O valor de um console clássico varia bastante conforme o estado de conservação. Além disso, itens como a caixa original, manuais e acessórios podem ser a diferença entre um console clássico valer dezenas ou centenas de dólares. Há até quem colecione apenas por colecionar, buscando ter coleções completas, jogos raros, etc. mesmo que nunca vá de fato jogar a maioria desses jogos. Não é esse o meu caso, tanto que me contento com um Everdrive e um SD2SNES para jogar. Mas até admiro quem o faz, apenas não tenho dinheiro e espaço para fazer e guardar tais coleções.

O fato é que a maioria das pessoas que conheci são bastante descuidadas com seus videogames e eletrônicos em geral. Na minha infância era bastante requisitado para instalar videogames de colegas e até de desconhecidos. Conectar um cabo de RF na antena de VHF não era tão difícil, até porque na época as pessoas nem tinham nada conectado no conector da antena de VHF na minha região, simplesmente porque todos os canais abertos estavam no UHF. Mas o fato é que as pessoas não liam o manual. Mas pior que não ler o manual é simplesmente descartá-lo. E muita gente faz isso: compra algo novo, tira da caixa, mal liga e já joga fora a embalagem junto com todos os manuais e nota fiscal. Deve ser por isso que consoles clássicos “completos” são tão raros, e portanto mais caros.

Mas eu fiz minha parte para preservar a história, guardando e conservando as caixas, manuais e acessórios de meus consoles clássicos em um nível que é pelo menos acima da média. Não que eu pretenda vendê-los. Isso definitivamente não está nos meus planos a menos que seja uma absoluta e real necessidade. Também não sei o que será deles depois que eu partir desse mundo. Talvez meus herdeiros tenham o mesmo apreço e eles sejam passados de geração em geração, como se fossem as jóias da família. Ou talvez acabem comidos por traças, ou no Mercado Livre ou, pior ainda, no lixo. Mas como eu disse, minha parte eu venho fazendo. 🙂

E para colaborar com a comunidade retrogamer vou mostrar aqui alguns itens, muitos dos quais resgatei em limpezas e organizações recentes, pois estava tudo meio espalhado. Não tenho a intenção de montar um “museu” aqui no blog, até porque não sou um verdadeiro colecionador, não compro quase nada clássico e a maioria dos clássicos que tenho são os que viraram clássico na minha mão, ou seja, estão há 20+ anos comigo. Mas se alguém resolver montar um museu virtual, minha colaboração fica dada. Só peço, naturalmente, que o blog seja citado e linkado.

Para começar, caixa e alguns acessórios do Mega Drive III da Tec Toy (o mesmo que mostrei por dentro em artigo anterior):

A caixa do Mega Drive III da Tec Toy

A caixa do Mega Drive III da Tec Toy

Parte traseira da caixa do Mega Drive III da Tec Toy

Parte traseira da caixa do Mega Drive III da Tec Toy

Cartucho Sonic The Hedegehog 2, que acompanha o meu Mega Drive III da Tec Toy

Cartucho Sonic The Hedegehog 2, que acompanha o meu Mega Drive III da Tec Toy

Cartucho Sonic The Hedgehog 2, parte traseira

Cartucho Sonic The Hedgehog 2, parte traseira

O manual do Mega Drive III da Tec Toy

O manual do Mega Drive III da Tec Toy

Cartucho Ayrton Senna's Super Monaco GP II, na caixa

Cartucho Ayrton Senna’s Super Monaco GP II, na caixa

Cartucho Ayrton Senna's Super Monaco GP II, na caixa

Cartucho Ayrton Senna’s Super Monaco GP II, na caixa

Cartucho Ayrton Senna's Super Monaco GP II

Cartucho Ayrton Senna’s Super Monaco GP II

Manuais e Folhetos que acompanham o Super Monaco GP II

Manuais e Folhetos que acompanham o Super Monaco GP II

Chave Comutadora de Antena do Mega Drive III

Chave Comutadora de Antena do Mega Drive III

A Nota Fiscal do Mega Drive III da Tec Toy, que custou CR$ 69.750,00. Não se espante, eram "Cruzeiros Reais" e não Reais :).

A Nota Fiscal do Mega Drive III da Tec Toy, que custou CR$ 69.750,00. Não se espante, eram “Cruzeiros Reais” e não Reais :).

Aguarde o próximo capítulo da saga, com alguns acessórios do Master System.

Link permanente para este artigo: https://www.skooterblog.com/2014/08/12/mega-drive-iii-da-tec-toy-embalagens-e-acessorios/

Deixe um comentário

14 Comentários em "Mega Drive III da Tec Toy: Embalagens e Acessórios"

Notificar sobre
avatar
Ordenar por:   mais novos | mais velhos | mais votados