[Review] Super Nintendo Original NTSC PCB SHVC-CPU-01 CPU/PPU1/PPU2 1/1/1

O Super Nintendo que mostro neste artigo é um modelo americano, original NTSC (sem transcodificação para PAL-M), com a PCB SHVC-CPU-01, a primeira delas, que contava com a placa de áudio discreta, a qual foi integrada nas versões futuras para cortar custos. Ele conta com as primeiras versões (1/1/1) dos três chips principais: CPU, PPU1 e PPU2. Posteriormente a CPU e a PPU2 ganharam novas versões, ainda na PCB SHVC-CPU-01.

Este Super Nintendo foi adquirido no eBay, e veio direto de West Palm Beach, que fica no estado da Florida, nos EUA, para as minhas mãos aqui no Brasil.

Motivação

Após os problemas de transcodificação mal feita que vitimaram meu Super Nintendo de infância e também um outro Super Nintendo que ganhei há alguns anos, e após a destruição da carcaça do primeiro pelo Correios, eu decidi que se comprasse um Super Nintendo novamente não seria no Brasil.

O motivo é bem simples: todos os Super Nintendos americanos que vieram para o Brasil nos anos 90, seja os do mercado cinza que entravam via Paraguai, seja os trazidos pela Playtronic e pela Gradiente, passaram por um processo de transcodificação de NTSC para PAL-M. Tal processo era necessário porque as TVs brasileiras da época não tinham suporte para NTSC, de modo que um console NTSC ficava preto-e-branco nas nossas TVs.

O problema é que esse processo de transcodificação era feito da maneira mais porca possível. Trocavam o cristal oscilador com a frequência do padrão NTSC por outro com a frequência do padrão PAL-M, levantavam um pino do chip codificador, acrescentavam alguns capacitores e resistores soldados de qualquer jeito e pronto.

Esse processo de transcodificação mal-feito leva à vários problemas. Ainda que o processo seja bem-sucedido, as cores acabam não ficando totalmente fiéis às cores que os desenvolvedores escolheram para os jogos. A paleta acaba ficando um pouco diferente. No caso do meu Super Nintendo de infância, a transcodificação mal feita ainda fazia as cores falharem de maneira intermitente na saída de vídeo composto.

Para piorar, em ambos os Super Nintendo que eu tive, as ilhas onde o cristal oscilador é soldado foram danificadas no processo. Não sei se usavam equipamento inadequado, se a solda era ruim e corrosiva, se faltou alguma proteção de verniz como nas soldas originais, mas o fato é que meus dois consoles acabaram com o mesmo problema, e até o momento estão sem conserto e diagnosticados como sucata por um técnico.

Desse modo, comprar um Super Nintendo no Brasil é comprar problema. Sempre vem um console transcodificado, e quase sempre desbloqueado para rodar jogos piratas, o que envolve mais algumas soldas e uma trilha cortada. Em muitos casos esses consoles são bombas relógio, que podem falhar a qualquer momento. Em alguns casos o console até foi re-convertido para NTSC, como eu fiz com o meu Atari 2600. Mas mesmo assim os danos irreversíveis na PCB podem estar presentes.

Por conta disso eu passei a ficar de olho no eBay, na esperança de encontrar algum console em bom estado, que fosse do mesmo modelo que o meu: o SHVC-CPU-01. Muita gente prefere os modelos 1Chip, modelos mais recentes que integram CPU, PPU1, e PPU2 em um único chip para cortar custos, e que tem imagem um pouco mais nítida. Mas eu os acho superestimados como já escrevi em outro artigo aqui no Skooter Blog, pois trazem também uma boa dose de glitches.

Identificando um SHVC-CPU-01

Felizmente identificar um Super Nintendo com a PCB SHVC-CPU-01 sem precisar abrir o console é relativamente fácil, diferente do que ocorre com os 1Chip, que muita gente compra sem ter certeza.

Os Super Nintendo com a PCB SHVC-CPU-01 tem as seguintes características que podem ser vistas por fora:

  • Botão “EJECT” com o rótulo impresso em branco. A maioria dos modelos posteriores tinha o EJECT moldado no plástico.
  • Número de série iniciando com “UN1”.
  • Informações da FCC em um adesivo prateado na parte de baixo (há relatos que pode ser dourado também, mas nunca vi). Os modelos posteriores tinham tais informações moldadas no próprio plástico.
  • Quatro pés de borracha. Os modelos posteriores tinham apenas dois pés de borracha, e os outros dois moldados no plástico.

Essas são as características facilmente identificáveis em anúncios se o vendedor tiver pelo menos colocado uma foto da parte de baixo do console.

Quem pode pegar o console em mãos também pode checar a trava física que impede que o cartucho seja removido com o console ligado. Ela só está presente no SHVC-CPU-01, e foi removida nas demais versões.

Por fim, o SHVC-CPU-01 é um pouquinho mais pesado, por contar com a placa de áudio discreta.

Por dentro um SHVC-CPU-01 é claramente mais caprichado, contando inclusive com slot removível que facilita a limpeza. Os cortes de custos posteriores foram piorando o console.

É claro que, infelizmente, muita gente faz gambiarra, trocando placas de uma carcaça para outra, então nunca dá para ter 100% de certeza de que placa está dentro do console. E a maioria dos vendedores não vai se dispor a abrir o console, ou nem mesmo tem a ferramenta necessária. É um risco de comprar online.

Além disso, tem um sujeito no Mercado Livre que faz um desserviço para qualquer colecionador ou interessado em documentar consoles, pois vende adesivos de reposição com números aleatórios, que ferram com qualquer tentativa de identificar componentes internos a partir do número de série. Inclusive ele vende alguns kits bizarros com duas etiquetas de número de série diferentes, e com um adesivo maior que não é o da FCC.

Versões de CPU e PPU

Todas as CPUs e PPUs do Super Nintendo tem um número de versão. A CPU teve duas versões, sendo que a primeira tem um bug, conhecido como DMA bug. Por conta desse bug os jogos precisavam ser programados com um certo cuidado para evitar situações que provocam travamentos, mas não sei se na prática existe algum jogo comercial que sofra com travamentos não previstos.  A PPU2 teve três versões, mas não se sabe exatamente qual é a diferença entre elas. A PPU1 aparentemente teve apenas uma versão.

Todas as mudanças de versões ocorreram ainda no ciclo de vida do SHVC-CPU-01, portanto todas as combinações de versões são encontradas nessa versão. Elas são conhecidas como 1/1/1, 2/1/1, 2/1/2, e 2/1/3, referindo-se às CPU, PPU1, e PPU2, respectivamente.

Nas versões seguintes do console não ocorreram mais mudanças nos números de versões. Até mesmo os modelos 1Chip, que juntaram os três chips e tem mudanças notáveis, não receberam novos números de versões, de modo que um 2/1/3 pode ser qualquer modelo entre os SHVC-CPU-01 mais recentes até o final da produção do Super Nintendo. Enquanto que as demais combinações só são encontradas no SHVC-CPU-01.

O meu final Super Nintendo de infância era um raro 2/1/2. Seu número de série era UN14260017. Com essa dica eu assumo que números de série maiores podem ser o 2/1/3, e números de série menores podem ser um 1/1/1 ou 2/1/1. Mas não leve isso como regra. Existe uma base de dados um tanto falha e incompleta que também dá algumas pistas.

Os números de versões podem ser identificados em telas especiais de alguns jogos, como o Final Fantasy: Mystic Quest, The Lion King, Devil’s Course Golf / Wicked 18, e Dragon – The Bruce Lee Story. Nesses casos as informações aparecem usando combinações de botões em telas específicas, ou com alguns passos complicados, dependendo do jogo. Eu uso o SD2SNES para me mostrar essa informação, que é acessível facilmente nos menus.

O número de série desse Super Nintendo que adquiri é bem baixo, UN10923935, e eu já notei isso logo no anúncio. Isso já me dava quase certeza que se tratava de um 1/1/1. Eu preferia um 2/1/3, para fugir de eventuais travamentos que o DMA bug possa causar, mas o ótimo estado desse Super Nintendo nas fotos, principalmente quando comparado com a grande maioria dos demais anúncios, me fez optar por ele assim mesmo.

O Anúncio

O anúncio do eBay para este console não está mais disponível, mas eu salvei as fotos para que vocês pudessem saber exatamente o que eu vi no anúncio antes de adquirir.  Confira:

Como pode ser visto nas fotos, exceto por algumas manchinhas esquisitas e alguma sujeira, o console estava em muito bom estado. O pacote estava completo, com os dois controles originais, o cartucho Super Mario World, cabo A/V e cabo R.F.

Nem tudo é perfeito, caixas, manuais, proteção do cartucho, etc. não estavam presentes. Mas para mim isso não é problema pois já tenho isso tudo muito bem guardado desde a minha infância.

Outro probleminha notável nas fotos é um quebradinho no encaixe da parte traseira, que só pode ser visto olhando diretamente para o centro do encaixe. Infelizmente isso é muito comum, pois é a parte mais fina do plástico, que certamente já está quebradiço após quase 30 anos. Além disso escreveram “Nintendo” com caneta permanente no comutador de R.F. Algo que eu sabia que poderia ser difícil de remover.

Na verdade eu nem precisava dos acessórios, pois já tinha tudo. Mas enfim, não há mal em ter mais dois controles originais, uma cópia extra do Super Mario World e cabos A/V e R.F. extras.

A Compra

Este Super Nintendo estava anunciado por US$ 99,99, mas com opção de receber ofertas. Acabei fazendo uma oferta de US$ 85,00, que foi aceita. Tinha um cupom de US$ 5,00, então paguei US$ 80,00. É um pouco caro para os padrões dos EUA, mas pelo estado do console achei que estava de bom tamanho, talvez devesse ter feito uma oferta inicial menor. O frete custou US$ 65,75 usando o método USPS Priority.

Infelizmente não dá para usar o método USPS First Class nesse caso, pois o limite de peso é 4 libras (1,81 Kg), e o Super Nintendo com seus acessórios passa de 5 libras. Para ser mais exato, esses são pesos que eu aferi em um teste recente:

  • Console (SHVC-CPU-01): 1223 g
  • Fonte: 427 g
  • Cabo A/V: 124 g
  • Cabo R.F.: 107 g
  • Controlador: 148 g

Só aí temos mais de 2 Kg. Usei uma balança de cozinha, então note que esses valores não são precisos. Acrescente também o peso da embalagem e fica impossível ficar dentro do limite do USPS First Class com todos os itens, a menos que sejam divididos em dois pacotes.

O problema do USPS Priority é que o desembaraço aduaneiro é feito no Rio de Janeiro. Em Curitiba os auditores da Receita Federal costumam tributar somente telefones celulares. Ao menos eu não pago imposto de outros produtos por lá há bastante tempo. No Rio de Janeiro é diferente, os auditores parecem estar tributando tudo. A vendedora declarou US$ 45,00, mas de nada adiantou. O auditor decidiu que o Super Nintendo custou US$ 150,00 (valor tirado da bunda), que convertido para reais deu R$ 564,73. Decidiu também que o frete custou R$ 199,91. Assim me tributou em R$ 458,79, acima do valor determinado por lei (60%), mesmo considerando os valores que efetivamente paguei.

Pedi então uma revisão de tributos, enviando os comprovantes do eBay e do PayPal. Levaram absurdos 22 dias para analisarem o pedido, um pedido digital com duas linhas de texto e dois comprovantes. Mas pelo menos foi deferido. O valor do bem passou para US$ 80,00 (R$ 301,19, pois consideraram o cupom, como pedi. Mas o valor do frete subiu para R$ 247,54, como também mostrava o comprovante. Com isso o imposto foi dos R$ 458,79 para R$ 329,24.

É lamentável que se cobre imposto de um console que não é fabricado há duas décadas. Não há qualquer justificativa para isso. Mas infelizmente estamos no Brasil…

Três dias após o pagamento de imposto abri uma reclamação no Correios para que encaminhassem o pacote. Correios só funciona no tranco, parece que se não reclama o pacote fica parado lá para sempre. Com meu Xiaomi Mi 9 também foi assim.

Unboxing e Testes

O Super Nintendo veio em uma caixa pequena, com vários selos pedindo para manusear com cuidado, por se tratar de item frágil, mas ainda assim ela levou uma bela “sanfonada”, como pode ser visto nas fotos, mostrando mais uma vez que o Correios não está nem aí com o conteúdo das caixas.

Na caixa veio uma anotação à caneta, SUB-BQD 150,00. Creio que tenha sido feita pelos auditores da receita federal, que usaram esse mesmo código no demonstrativo de impostos e serviços: “SUB-BQD-150-SUPER NINTENDO”. SUB-BQD deve ser algum tipo de código interno, em uma tabela de valores ou algo do tipo.

O formulário da alfândega descreve o conteúdo como “Super Nintendo Gaming Console SNS-001 With Super”, valor de US$ 45,00 e o frete veio declarado como US$ 53,10. Peso de 5 libras e 5 onças.

Dentro da caixa cada item veio embalado individualmente em bastante plástico bolha e fitas com logotipo do eBay, com exceção do cabo de R.F.  Acho que só por conta disso é que tudo chegou inteiro apesar dos mal-tratos do Correios.

Na primeira conferida gostei muito do estado de todos os itens. Tudo bem dentro do que eu esperava. Só um pouquinho de sujeira nos controladores, mas o restante tudo bem limpo. Console, controles, cartuchos, cabos, tudo parecendo ter bem pouco uso, pois não há nada daqueles arranhados que são comuns de encontrar. O cartucho também estava com o rótulo (label) perfeito.

O console não teve as travas que impedem o uso de cartuchos de Super Famicom (o Super Nintendo japonês) removidas, como era comum ocorrer no Brasil dos anos 90. Ele está com as travas intactas, como de fábrica. Prefiro assim.

Com tudo desembalado e conferido, tratei logo de ligar o Super Nintendo na TV para testa-lo. Fiz a ligação com o cabo A/V para estes primeiros testes, na TV LCD Panasonic TC-40DS600B do meu home office.

Fiz alguns testes com ROMs de burn-in com ajuda do SD2SNES e constatei que estava tudo em ordem. Mais tarde eu deixei o console ligado a madrugada toda rodando testes de burn-in para ter certeza que estava tudo em ordem mesmo.

Com o SD2SNES também confirmei as versões de CPU e PPUs, e realmente trata-se de um 1/1/1. Testei ainda alguns jogos aleatórios para ver se não apareciam glitches ou qualquer indício de console com problemas.

Testei também dois cartuchos piratas, um com CIC e um sem CIC, e apenas o que tem CIC funcionou, um indicativo de que o console não foi desbloqueado. Isso é ótimo, pois este é outro mal dos Super Nintendo encontrados no Brasil: trilha cortada, fios soldados, etc. para que o console rode jogos piratas que não tem o CIC. Além disso, alguns jogos do Super Nintendo, como o Mario RPG, não funcionam em consoles desbloqueados.

Após os vários testes do console em funcionamento era hora de abri-lo para ver como ele estava por dentro. Antes uma última conferida nas etiquetas, número de série, pezinhos de borracha e todas as características que indicam tratar-se de um SHVC-CPU-01.

Dentro do console infelizmente um problema: um dos postes onde os parafusos se prendem estava quebrado. Não sei se já estava assim, se quebrou no transporte ou se quebrou ao remover o parafuso.

Fora isso o console estava em muito bom estado por dentro, sem oxidação nas proteções metálicas, sem oxidação no dissipador, sem oxidação na placa de som, placa principal muito bonita, slot limpinho e brilhando. Tudo muito raro de se ver.

Tirando a proteção metálica pude ver melhor a placa. Muito limpinha, sem qualquer sinal de que tenha sido mexida. Cristal oscilador original, capacitor variável original, tudo perfeito. No cantinho da placa a inscrição de SHVC-CPU-01, como era esperado.

Uma olhada de perto nos chips principais mostram na CPU: “Nintendo S-CPU 5A22-01 1HF 7P”. Na PPU1: “Nintendo S-PPU1 5C77-01 1GV 7S”, e na PPU2: “Nintendo S-PPU2 5C78-01 1GV 40”. O CIC está intacto como eu já suspeitava.

Um pouco de oxidação pode ser vista nos terminais dos capacitores de 33 μF. Apesar de eu não ter notado qualquer efeito colateral, esses capacitores parecem ter vazado eletrólito e eventualmente terão de ser substituídos, como acontece com os capacitores de praticamente todo Super Nintendo após todos esses anos. Outros capacitores parecem estar intactos, ainda que não seja possível afirmar se estão mesmo em perfeito funcionamento.

Outro detalhe é que o capacitor grande, de 1000 μF está presente, assim como no meu Super Nintendo de infância. Esse capacitor posteriormente foi removido pela Nintendo, ainda no modelo SHVC-CPU-01, para cortar custos. Ele não costuma ser necessário desde que se use a fonte original, que tem outro desses internamente para filtragem. Mas algumas pessoas acrescentam esse capacitor em seus consoles quando eles não estão presentes, o que pode ajudar quando se usa fontes de terceiros.

Quanto ao poste quebrado, nada que um pouco de Araldite não resolva. Misturei os componentes e fiz a colagem. Enquanto a cola curava, aproveitei para dar uma boa limpeza na fonte.

Com a cola secando e o console aberto em funcionamento fazendo burn-in, aproveitei para limpar todos os itens. Com paciência e álcool isopropílico consegui remover as inscrições de caneta permanente no módulo comutador de R.F.

A parte de cima do console também foi devidamente limpa. Está perfeita e nem mesmo amarelou. Na parte de dentro dela é possível observar a trava mecânica que impede que os cartuchos sejam removidos com o console ligado.

Controladores sempre merecem especial atenção. Não quero milhares de células mortas de estranhos nos meus controles 🙂 . Com Veja e uma escova de dentes velha dá para deixa-los bem limpinhos.

Por fim, fiz uma limpezinha no cartucho do Super Mario World, que está perfeito, tanto o plástico quanto as etiquetas.

E com tudo limpinho, era só esperar pela cura da cola. Deixei o console rodando burn-in, ainda aberto enquanto a cola curava, e fui dormir. No dia seguinte ele ainda estava funcionando perfeitamente. Passou no meu teste.

Com a cola já bem curada, era hora de fechar o console. Fiz então a limpeza da parte de baixo, que era a única que faltava. E assim o console ficou todo limpinho.

E um novo testezinho com a TV LCD, só pra ver se ficou tudo certinho após o fechamento.

E por fim, vamos reunir o Super Nintendo e seus acessórios, agora todos limpinhos, para uma foto digna de enquadramento. 😀

Fiz ainda um teste do Super Nintendo com a TV 4K Sony XBR-55X905E, usando as saídas RGB do console conectadas ao Framemeister. Tudo funcionou perfeitamente e a imagem ficou muito bonita.

Por fim, levei o console até a TV CRT, que é onde ele vai ficar conectado. O resultado foi uma imagem bonita, com cores bem melhores do que as que eu via com os consoles transcodificados para PAL-M.

Unboxing e Testes em Vídeo

unboxing e os testes do Super Nintendo também estão disponíveis em vídeo, no novo formato que estou testando. Comentários, críticas e sugestões são bem vindos.

Rastreamento

Estas são as informações de rastreamento do pacote, segundo o USPS:

August 30, 2019, 4:48 pm
Delivered
BRAZIL
Your item was delivered in BRAZIL at 4:48 pm on August 30, 2019.
August 27, 2019, 5:39 pm
Processed through Facility
RIO DE JANEIRO, BRAZIL
August 27, 2019, 5:38 pm
Customs Clearance Processing Complete
BRAZIL
July 29, 2019, 1:46 pm
Processed Through Facility
BRAZIL
July 29, 2019, 3:47 am
Customs Clearance
BRAZIL
July 28, 2019, 5:10 am
Departed
RIO DE JANEIRO, BRAZIL
July 27, 2019, 5:40 pm
Departed
MIAMI, UNITED STATES
July 27, 2019, 10:39 am
Arrived
MIAMI, UNITED STATES
July 26, 2019, 11:21 pm
Processed Through Regional Facility
MIAMI FL INTERNATIONAL DISTRIBUTION CENTER 
July 26, 2019, 11:20 pm
Arrived at Regional Facility
MIAMI FL INTERNATIONAL DISTRIBUTION CENTER 
July 26, 2019, 6:57 am
Arrived at USPS Regional Facility
MIAMI FL INTERNATIONAL DISTRIBUTION CENTER 
July 25, 2019, 9:02 pm
Departed Post Office
WEST PALM BEACH, FL 33416 
July 25, 2019, 7:07 pm
USPS in possession of item
WEST PALM BEACH, FL 33416 
July 25, 2019, 4:28 pm
Shipping Label Created, USPS Awaiting Item
WEST PALM BEACH, FL 33406 

E estas são as informações de rastreamento do pacote segundo o Correios:

30/08/2019
16:48
Objeto entregue ao destinatário
30/08/2019
11:35
/ SP
Objeto saiu para entrega ao destinatário
29/08/2019
12:35
INDAIATUBA / SP
Objeto encaminhado
de Unidade de Tratamento em INDAIATUBA / SP para Unidade de Distribuição em [REMOVIDO] / SP
27/08/2019
17:40
RIO DE JANEIRO / RJ
Objeto encaminhado
de Unidade de Distribuição em RIO DE JANEIRO / RJ para Unidade de Tratamento em INDAIATUBA / SP
27/08/2019
17:38
Fiscalização Aduaneira finalizada
24/08/2019
18:57
Objeto pago
Consulte os prazos clicando aqui.
24/08/2019
15:40
Aguardando pagamento
Acesse o ambiente Minhas Importações
05/08/2019
15:37
Solicitada revisão do tributo estabelecido
02/08/2019
04:31
Aguardando pagamento
Acesse o ambiente Minhas Importações
02/08/2019
04:30
Aguardando pagamento
Acesse o ambiente Minhas Importações
01/08/2019
21:54
RIO DE JANEIRO / RJ
Objeto encaminhado
de Unidade de Logística Integrada em RIO DE JANEIRO / RJ para Unidade Administrativa em Fiscalizacao Aduaneira / BR
30/07/2019
13:50
RIO DE JANEIRO / RJ
Objeto encaminhado
de Unidade de Logística Integrada em RIO DE JANEIRO / RJ para Unidade Administrativa em Fiscalizacao Aduaneira / BR
29/07/2019
13:46
Objeto recebido pelos Correios do Brasil

Acesse o ambiente Minhas Importações
Informar CPF/CNPJ, conforme IN RFB Nº 1.737/2017

26/07/2019
23:21
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA /
Objeto encaminhado
de País em ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA / para País em Unidade de Tratamento Internacional / BRAcesse o ambiente Minhas Importações
Informar CPF/CNPJ, conforme IN RFB Nº 1.737/2017
26/07/2019
23:20
Objeto recebido na unidade de exportação

Acesse o ambiente Minhas Importações
Informar CPF/CNPJ, conforme IN RFB Nº 1.737/2017

25/07/2019
19:07
Objeto postado

Acesse o ambiente Minhas Importações
Informar CPF/CNPJ, conforme IN RFB Nº 1.737/2017

Tabela-Resumo

Por fim, esta é a tabela-resumo da compra:

Nome do Produto: Super Nintendo Original NTSC PCB SHVC-CPU-01 CPU/PPU1/PPU2 1/1/1
Nome Original: Super Nintendo Gaming Console SNS-001 With Super Mario World game Used Good
Loja: eBay
Valor: US$ 85,00
Valor atual:
Forma de Pagamento: PayPal
Tipo de Frete: USPS Priority
Valor do Frete: US$ 65,75
País de Origem do Pacote: Estados Unidos da América (EUA)
Data de Compra: 25/07/2019
Data de Envio: 25/07/2019
Data de Entrega: 30/08/2019
Tempo em Trânsito: 36 dias
Conteúdo Declarado: Super Nintendo Gaming Console SNS-001 With Super
Tipo de Conteúdo Assinalado: Gift
Valor Declarado: US$ 45.00
Tributado: Sim
Valor Tributável: US$ 80,00 (R$ 301,19) + R$ 247,54 = R$ 548,73
Valor do Imposto: R$ 329,24

Considerações Finais

Fiquei bastante satisfeito com o estado geral deste Super Nintendo, que está muito bem conservado. Infelizmente o frete e o imposto acabaram deixando-o mais caro do que eu imaginava. Mas não sei avaliar exatamente o quanto ele deve valer aqui no Brasil.

Comparado com o meu Super Nintendo de infância antes de ser destruído pelo Correios, ele está com estado de conservação até um pouco melhor em alguns aspectos, exceto pelo poste e pelas abinhas quebradas da parte de baixo. O meu de infância tinha as travas que impedem o uso de cartuchos japoneses removidas. Além disso, ele estava bem mais amarelado, talvez por ser outro lote, talvez por ter passado mais de metade de sua vida instalado e pronto para uso, ou seja, pegando mais iluminação, ainda que não fosse luz solar direta. O console da minha infância passou pouco tempo guardado na caixa, e amarelou bastante na parte de baixo e um pouco na parte de cima. Este “novo” Super Nintendo amarelou um pouco na parte de baixo, mas nada na parte de cima.

Por dentro não tem comparação, sem transcodificação e sem desbloqueio, o Super Nintendo dos EUA está com a placa perfeita, sem gambiarras, sem nada que possa danificar a PCB. Talvez precise de novos capacitores eletrolíticos, mas isso já era algo esperado e praticamente todo Super Nintendo precisa. É o que o meu Super Nintendo de infância teria sido se não tivesse o azar de ter vindo para o Brasil e passado por transcodificação e destravamento, exceto pelas diferentes versões de CPU e PPU.

No geral, estou satisfeito. Não é o meu console de infância, nunca será. Mas foi o melhor que consegui encontrar até agora, por um preço razoável. Foi uma boa aquisição? Me diga aí nos comentários…

Compartilhe o artigo com seus amigos se você gostou 😉 . O Skooter Blog precisa de sua ajuda na divulgação para continuar existindo.

Atualização (12/09/2019): Esqueci de mencionar que o cartucho do Super Mario World ainda está salvando e veio com dois saves com todas as 96 fases abertas.

Link permanente para este artigo: https://www.skooterblog.com/2019/09/11/review-super-nintendo-original-ntsc-pcb-shvc-cpu-01-cpu-ppu1-ppu2-1-1-1/

11
Deixe um comentário

avatar
7 Comment threads
4 Thread replies
5 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Hottest comment thread
6 Autores de comentários
Rafael Autores de comentários recentes
  Inscrever  
mais novos mais velhos mais votados
Notificar sobre
Visitante
Thiago Salles

Boa noite. Como faço esse teste burn-in?

Visitante
Polter

Parabéns pela aquisição. Curioso que eu tenho meu Super Nintendo de infância guardado em algum lugar e nem sei se ainda funciona ou o estado dele.

Membro

Ainda pergunta se foi boa aquisição? Esse console está perfeito, eu nunca vi uma placa nesse estado de conservação, sem um ferrugem na placa de som 😲
Nesse estado, eu pagaria até mais por ele hehe
Uma dúvida que eu tive durante muito tempo é se a legislação brasileira permite a importação produtos usados. Aparentemente não há problema 🤔
Parabéns pela aquisição e pelo artigo.

Membro
Iuri Fiedoruk

Muito bacana.
Fiz algo parecido, comprando um Super Famicom que veio do Japão.
Infelizmente el tinha dois problemas, primeiro estava bem oxidado por dentro, tive que limpar diversas vezes com álcool isoproílico até ficar um pouco mais limpo. Segundo, por alguma razão,e le só funciona com o everdrive pirata da china, não com o original do krizz. No fim, comprei um super nintendo de segunda mão, e troquei as placas, deixando a placa do snes no corpo do super famicom, que acho bem mais bonito, e deixei o snes com placa dele na casa dos meus sogros.
O único problema é que não encaixa cartucho formato americano, por isso vou ter que comprar um adaptador, mas como em 99% dos casos uso o everdrive, isso não foi problema até agora.

Rafael
Visitante
Rafael

Bacana a aquisição, realmente está muito bonito por dentro. Será que se tivesse pedido para a vendedora enviar apenas o console, sem os acessórios que você já tinha, iria conseguir enviar pela modalidade USPS First Class?

Quanto à “impostada” da RFB, lamentável essa sede por tributarem, ainda mais coisas antigas. Entra governo, sai governo e continua tudo igual, só muda o rótulo/partido.

trackback

[…] [Review] Super Nintendo Original NTSC PCB SHVC-CPU-01 CPU/PPU1/PPU2 1/1/1 […]

trackback

[…] eu estava testando o meu Super Nintendo Original NTSC PCB SHVC-CPU-01 CPU/PPU1/PPU2 1/1/1, que já mostrei aqui no Skooter Bl…, percebi que o meu SD2SNES pediu para colocar data e hora no sistema, o que é um sintoma de que a […]

×