«

»

out 28 2015

Imprimir Post

World Soccer 94 – Road to Glory (Striker) – Super Nintendo

Dando continuidade à série sobre jogos de futebol em consoles clássicos, hoje falamos sobre o World Soccer 94 – Road to Glory do Super Nintendo, a verão americana do Striker, como era chamado na Europa. A versão que conheci aqui no Brasil foi a europeia, só recentemente soube que nos EUA este jogo levou outro nome. Estranhamente a ROM do Striker ocasiona uns glitches gráficos medonhos no gramado do campo quando a utilizo com o SD2SNES. Ainda não descobri o motivo. Como o Striker funcionava normalmente há 22 anos neste mesmo Super Nintendo que tenho até hoje, só posso concluir que a ROM do cartucho que eu jogava era diferente ou que há alguma incompatibilidade com o SD2SNES. Ou talvez os cartuchos de Striker da época (todos piratas) já tinham alguma adaptação na ROM para rodar nos consoles americanos. Daqui por diante vou me referir ao jogo como Striker quando estiver falando de qualquer característica que ambas as versões tenham em comum, pois é assim que o jogo ficou conhecido por aqui, pelo menos para mim.

O Striker é um jogo extremamente rápido, o que agrada alguns e desagrada outros. Na época eu gostei bastante, e ele começou a dividir o posto de “meu jogo de futebol favorito” no Super Nintendo com o Super Formation Soccer, do qual falarei em artigo futuro. A abertura é algo engraçado de se ver nos dias de hoje: sprites de jogadores dando zoom in e zoom out todo pixelados, trofeus passando ao fundo, campo em rotação (algo já usado na abertura do Goal!, de que falarei também em artigo futuro). Enfim, pegaram todos os efeitos Mode 7 do Super Nintendo e usaram aleatoriamente da forma mais brega possível no melhor estilo “criança fazendo colagens no Paintbrush”. Mas na época parecia bacana. 🙂

Abertura do World Soccer 94 - Road to Glory

Abertura do World Soccer 94 – Road to Glory

No Striker há um menu para selecionar dentre várias línguas europeias, sendo que o português não é uma delas. No World Soccer 94 – Road to Glory não existe o menu de seleção de linguagem e a única disponível é o inglês. Outra mudança na versão americana é que os nomes dos jogadores são todos fictícios, enquanto que no Striker os nomes dos principais jogadores das principais seleções são reais. Lembro que o Romário era um deles.

O jogo tem uma única música, que toca na abertura e em todos os menus. Tenho a impressão de que é uma música digitalizada em vez de gerada pelo processador de som do Super Nintendo, mas pode ser apenas impressão. Durante o jogo o que ouvimos é apenas o barulho da torcida e dos toques na bola. O Striker também é o primeiro jogo de futebol em que me recordo de ver replays dos gols.

Há abundância de modos de jogos, incluindo amistosos, campeonatos, ligas, etc. São 64 seleções. Também é possível jogar em campo ou em quadra (futebol de salão). Na quadra o jogo fica bem diferente pois a bola não sai, não há laterais, tiros de meta ou escanteios, pois a bola sempre rebate e vota para a quadra, o que dá uma dinâmica diferente para o jogo. Em campo, há diferentes condições climáticas, gramado seco e molhado alteram a velocidade do jogo. Também há a força do vento, que pode alterar a trajetória da bola. Enfim, é um jogo com gráficos e jogabilidade bem bacana para a época.

World Soccer 94 - Road to Glory

World Soccer 94 – Road to Glory

Futebol de Salão no World Soccer 94 - Road to Glory

Futebol de Salão no World Soccer 94 – Road to Glory

E fica o meu vídeo mostrando o World Soccer 94 – Road to Glory:

Para fechar deixo, como de costume, a lista dos itens que foram utilizados para fazer a gravação do gameplay do World Soccer 94 – Road to Glory, e que já foram mostrados aqui no Skooter Blog:

  1. Elgato – Game Capture HD60 – para a captura do vídeo em formato digital em Full HD e 60fps.
  2. Super Nintendo – modelo norte-americano
  3. Framemeister XRGB Mini – fazendo o upscale da imagem do Super Nintendo para 1080p Full HD.
  4. SD2SNES – o cartucho “mágico” que lê meus jogos a partir de um simples cartão SD e funciona tal qual os cartuchos originais.
  5. Cabo SCART RGB para Super Nintendo (CSYNC) com upgrade para Multicore Coax – levando a imagem RGB, melhor imagem possível de se extrair de um Super Nintendo com hardware original, para o Framemeister.

Atualização (30/10/2015): Fiz também um vídeo do Striker na versão europeia, incluindo os glitches, e do World Soccer, a versão japonesa do Striker, que funciona perfeitamente no meu Super Nintendo. Em ambos os casos, os nomes dos jogadores são os nomes reais de meados de 1993. A seleção brasileira tinha Taffarel, Jorginho, Branco, Moser, Aloisio, Dunga, Valdo, Geovani, Alemão, Careca, Romário, Bebeto, Mirandinha, Ricardo, Muller, e Silas.


Sobre o autor

Skooter

Skooter é cientista da computação e fundador do Skooter Blog. Tem interesse em tudo relacionado a tecnologia e gosta de economizar fazendo suas compras diretamente do exterior.

Link permanente para este artigo: http://www.skooterblog.com/2015/10/28/world-soccer-94-road-to-glory-striker-super-nintendo/

1 menção

  1. 1
    Super Soccer - Super Nintendo - Skooter Blog

    […] do jogo não é dos mais rápidos quando comparados a outros jogos de futebol, é o oposto do Striker, o que de certa forma deixa o jogo um tanto mais real, com placares menos elásticos. Para roubar […]

Deixar uma resposta